PROJETOS

Menos luz, mais vida? Efeitos da ausência de luz nas raízes no cultivo in vitro de orquídeas da espécie Catasetum fimbriatum

Aluna: Regina Akiyama Amadeu
Profª. Orientador(a): Fernando C. De Domenico e Nilce de Ângelo
Profª Coorientador(a): Sandra M. Rudella Tonidandel

Ano: 2016

Premiações

Descrição

Na cultura in vitro da Catasetum fimbriatum, ao adicionar carvão ativado no meio de cultura, a planta tende a se desenvolver melhor; mas ainda não se sabe o porquê. Descobrindo o motivo, seria possível substituir o carvão por algo mais barato e eficiente. O objetivo do trabalho é descobrir se é o escuro proporcionado pelo carvão que ajuda no crescimento da planta, e a hipótese é que sim, uma vez que, na terra, as raízes da planta ficariam no escuro; e que, enquanto sua parte aérea cresce em direção à luz, suas raízes crescem na direção contrária. A metodologia consistirá em separar espécimes da orquídea em 3 grupos: o Controle, com tubo de ensaio e meio de cultura normais; o Experimental 1, com carvão acrescentado ao meio de cultura, e o Experimental 2, no tubo de ensaio com sua parte inferior coberta por papel alumínio. Após uma semana de crescimento das plantas, será acrescentado em cada tubo de ensaio um uma camada de miçangas de vidro pretas sobre o meio de cultura. Após o período de crescimento, as plantas serão medidas pela massa fresca da raiz, massa fresca aérea, comprimento da maior raiz, comprimento da maior folha e volume do pseudobulbo.

Palavras-chave: carvão ativado, Catasetum fimbriatum, cultivo in vitro